5 fatos sobre Chernobyl que você não sabia

O colapso e a explosão de Chernobyl são de longe o pior desastre nuclear que o mundo já viu. Conheça 5 fatos desse acidente que provavelmente você não sabia.

 

1. O iodo radioativo é o primeiro assassino

Após a explosão, os verdadeiros assassinos vêm na forma de isótopos radioativos – transmitidos por partículas de poeira flutuando no ar e caindo no chão. O iodo radioativo é um dos mais perigosos porque pode acumular-se rapidamente na glândula tireóide, levando ao câncer de tireoide e à morte.

É por isso que os esforços de socorro começam dando pílulas de iodo para as pessoas nas áreas afetadas – tentando evitar o acúmulo de iodo radioativo em seus corpos.

 

2. Estrôncio-90 e Césio-137 são os assassinos de longo prazo

Estrôncio-90 e Césio-137 talvez seja a ameaça mais séria, ele age entre 28 e 30 anos após sua ingestão. O estrôncio-90 segue a química do cálcio, de modo que é prontamente incorporado nos ossos e dentes – Crianças que tenha tomado leite de vaga contaminado por exemplo provavelmente terão problemas. O césio-137 se assemelha à química do potássio, por isso é facilmente ingerido no sangue e pode ser incorporado nos tecidos de pessoas e animais.

 

3. Radiação em Chernobyl é relativa

Radiação vem em muitas formas. Na ciência, a radiação cai em um espectro de radiação eletromagnética. Longos comprimentos de onda são coisas como ondas de rádio. A luz está em algum lugar no meio. Pequenos comprimentos, como os raios alfa, beta e gama, são emitidos por isótopos radioativos. Eles podem penetrar em suas células e destruir seu DNA. Claro, esses raios existem ao nosso redor o tempo todo. É a quantia que é o problema.

A radiação era tão intensa que os olhos de um bombeiro passaram de marrom a azul.

As pessoas foram orientadas a beber Vodka para reduzir as chances de câncer de tireoide.

 

4. Ninguém mora em Chernobyl

Há muitas pessoas que vivem em Chernobyl em diferentes momentos. A cidade fantasma que você vê na maioria das fotos é a cidade alimentadora de Pripyat. Em teoria, ninguém mora mais lá. No entanto, a cidade de Chernobyl, que está a pouco mais de 10 km do reator, tem moradores que entram e saem em intervalos regulares.

 

5. Os animais são radioativos, mas estão bem

Esta é uma afirmação relativa – obviamente. A radiação provoca crescimentos estranhos e defeitos congênitos nos animais de lá. Nós, como humanos, não suportamos nem mesmo uma taxa de anormalidade de 1% em nossa própria espécie. No entanto, para os animais aqui, isso parece um pequeno preço a pagar por viver um lugar que é relativamente livre de seres humanos. O triste a verdade é que a presença humana é provavelmente o maior problema para a maioria dos animais para sobreviver.

A área de Chernobyl foi abandonada apenas dois dias antes da radiação pesada.

Veja o vídeo feito pelo um drone que sobrevoou Chernobyl.

Referência.

matheussinnis Autor

Analista de Sistemas, é formado em Técnico em Microinformática e graduando em Sistemas de Informação, fascinado por sites e blogs de entretenimento e já contribui com conteúdo para internet desde 2012 nesse nicho.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *